Site em Português English Site

My Cart (0)

>> >>

Blog 

- Transporte de Cargas

Publicado em 08 de Julho de 2019

Atuação do Despachante Aduaneiro no Envio de Cargas para Argentina

A exportação de mercadorias para a Argentina faz parte do dia-a-dia de muitas empresas brasileiras. Por mais que as normas estabelecidas pelo Mercosul não sejam rígidas, algumas burocracias podem ser enfrentadas na liberação da alfândega Argentina. 

Por isso é sempre importante contratar um despachante aduaneiro, já que sua função inclui apresentar a documentação estabelecida pelas normas tributárias, relativas ao despacho aduaneiro de importação ou exportação na alfândega. 

Além disso, o profissional também possui conhecimento sobre regimes especiais que podem tornar a sua operação mais econômica, afinal, por mais que as exportações realizadas no âmbito do Mercosul estejam isentas de impostos, há inúmeras exceções à regra.

Como funciona os processos aduaneiros na Argentina?

Os produtos de origem internacional são inspecionados por meio do Sistema Harmonizado de Designação e Codificação de Mercadorias, logo que chega ao país. Esse procedimento é dividido em três tipos diferentes : 

Verde: Este procedimento permite com que o despacho aduaneiro ocorra sem inspeção;

Laranja: Exige que apenas a documentação seja inspecionada;

Vermelha: Aqui é exigida a inspeção de ambos, documentação e carga. 

O fator determinante para a escolha do procedimento de análise utilizado pelas autoridades aduaneiras  é o tipo de mercadoria. 

O transporte de mercadorias entre Brasil e Argentina é predominantemente rodoviário. Por isso, há um prazo de um mês para a permanência das mercadorias em depósito alfandegado sob o Regime de “Destinación Suspensiva de Depósito de Almacenamiento”.

Requisitos para exportar para a Argentina 

O registro na alfândega argentina é necessária para dar início a qualquer processo de exportação, só assim é possível realizar transações comerciais internacionais. Além disso, é de responsabilidade do despachante aduaneiro providenciar a documentação necessária para a operação. 

Geralmente é exigido a fatura comercial, romaneio (Packing list), conhecimento de embarque, certificado de origem MERCOSUL e outros. 

Regimes aduaneiros especiais para exportações Brasil-Argentina

  • Regime simplificado opcional de importação definitiva

  • Regime de Courier

  • Regime de amostras

  • Regime para material promocional

  • Regime para importação temporária

Como exportar produtos para Argentina e obter sucesso?

Esteja atento ao SIMI

O Sistema Integral de Monitoramento de Importações é responsável pelo controle das exportações argentinas. Sua nova legislação permite um licenciamento automático para a maioria dos produtos da união aduaneira do Mercosul, porém é recomendado que a empresa se certifique da autorização do licenciamento. 

Caso contrário, é possível que a carga fique presa na alfândega.

Esteja atento às formas de pagamento

Durante o planejamento de uma exportação, é importante realizar uma pesquisa sobre o mercado do segmento no país desejado e como os seus produtos se encaixam nele. Mesmo que fique perto do Brasil, os argentinos possuem outros hábitos, que talvez não se encaixem com a proposta do seu produto. 

Esteja atento às formas de pagamento

No caso da Argentina é sempre ficar atento ao tipo de pagamento, B2B ou B2C. No primeiro caso é importante sempre prestar atenção no contrato e em qual moeda ele está. Já no caso do B2C, é preciso sempre estar atento aos às cotações do dólar e da moeda utilizada no país e em como elas influenciam na sua receita.

Ver mais

Publicado em 24 de Junho de 2019

A importância da inspeção em movimentação de cargas

Os procedimentos internos de segurança são fundamentais para garantir a produtividade na indústria, já que a falta de inspeção técnica em içamento e movimentação de cargas pode gerar mau funcionamento nos equipamentos e atrasar o trabalho.

Segundo a NR11, a empresa deve apresentar os registros de perícia realizadas nos equipamentos, vendo que a falta de inspeção pode gerar multa para a instituição, pois sua ausência põe em risco a segurança dos funcionários.

Periodicidade das revisões

O contratante pode levar em conta dois parâmetros de intervalos entre as inspeções, uma delas é baseada nas normas nacionais, que aconselham que a revisão seja realizada a cada 12 meses, ou seja, um ano. Já a equipe do SESMET aconselha que a própria empresa defina o risco relacionado a cada equipamento.

Dependendo da utilização, a inspeção pode ser mensal, trimestral, semestral ou anual. O serviço é realizado com a emissão de um book técnico, apresentando um relatório de cada material analisado.

Economias geradas pela manutenção

Quando a proteção dos funcionários é priorizada alguns custos podem ser deixados de lado, como por exemplo indenizações e horas de trabalho perdido. Além disso, é fundamental que as empresas priorizem sempre pelo bem estar de seus funcionários.

Materiais de içamento costumam ter um preço elevado, por isso, para que a instituição evite gastos constantes com a troca de equipamento, é aconselhável que mantenha periodicidade das inspeções e armazene os produtos de forma correta, assim é possível aumentar a vida útil dos utensílios.

Geralmente os dispositivos de içamento que mais precisam de reparos são as Cintas, eslingas, lingas de correntes, laço de cabo de aço, ganchos, manilhas, cadeados, pega chapas, balancim, tenaz eletromecânica e gancho C.

Alguns dos materiais citados acima podem apresentar desgastes evidentes, mas outros só são descobertos no momento da avaliação de profissionais, que ao final dos reparos emitem um relatório contendo todas as falhas encontradas e ajustes realizados.

Qual a importância do relatório final da inspeção?

O item 1.3 da Norma Regulamentadora 11 (NR11), exige que as empresas mantenham registro em meio físico ou eletrônico, de inspeção periódica e de manutenção dos equipamentos.

É necessário também que o documento seja elaborado por um profissional legalmente habilitado com ART – Anotação de Responsabilidade Técnica.

O registro das inspeções deve ser devidamente arquivado, já que fornecem proteção de responsabilidade jurídica. Usando os registros de inspeção, gerentes de manutenção podem identificar e corrigir problemas que se repetem.

Ter os documentos guardados também são importantes para serem apresentados em perícias, já que a falta de inspeção nos materiais geram multas para a instituição pelo fato de apresentarem perigos graves aos funcionários.

Em casos como este é possível provar de forma simples que a empresa está seguindo as normas impostas e colocando a saúde dos contribuidores como prioridade.  

Ver mais

Publicado em 19 de Junho de 2019

7 Dicas de Manutenção Para Pneus de Caminhão

Todo bom caminhoneiro precisa conhecer informações básicas sobre a manutenção para pneus de caminhão. Afinal, eles dependem desses equipamentos em bom estado para realizarem seu trabalho.

Com bastante cuidado e manutenção atenciosa, o caminhoneiro consegue aumentar a vida útil dos pneus em algumas dezenas de milhares de quilômetros. Assim, não se faz necessário comprar pneus com tanta frequência, além de economizar algum dinheiro.

Mas como fazer a manutenção correta dos pneus? É o que veremos a seguir. Portanto, siga a leitura!

1) Use o TWI na manutenção para pneus de caminhão

Os pneus de caminhão e carros normais contam com um indicador de desgaste chamado TWI. Talvez você conheça por outro nome, como Índice Treadwear.

O importante é que esse índice serve para indicar quando o pneu chegou ao seu limite máximo de desgaste, ou seja: a partir daquele ponto, o caminhão está rodando com o pneu careca.

Rodar com os pneus carecas é um risco enorme, não só para a carteira de habilitação do caminhoneiro (infração grave, com 5 pontos na CNH e multa de R$ 195,23), mas também para a sua segurança.

Um pneu careca tem menos aderência na pista. Isso significa que você terá menos estabilidade na condução, especialmente em terrenos já naturalmente instáveis, como a rodovia molhada ou estrada de terra.

Isso pode colocar em risco a carga que você está transportando, bem como a sua própria vida.

Por isso, fique sempre de olho no índice TWI dos seus pneus. Quando o desgaste do pneu chegar até a marca indicada pelo fabricante, é hora de comprar pneus novos.

2) Não exceda o limite de carga recomendado

Nós sabemos que a vida de caminhoneiro não é fácil. É necessário pegar o máximo de fretes possíveis para ganhar a vida e, muitas vezes, os trabalhos disponíveis são para transportar cargas acima da capacidade do nosso caminhão.

Isso é um cenário comum, mas que deve ser evitado se possível. A razão para isso é simples: os pneus são feitos com certas dimensões em mente.

Por causa disso, eles aguentam certo peso, determinado impacto e rodam por uma quantidade específica de quilômetros.

Se você adiciona mais peso que o pneu aguenta, ele fica sobrecarregado. Isso significa que, no melhor cenário possível, ele vai se desgastar mais rapidamente e você precisará trocá-lo mais cedo.

No pior cenário, ele não aguentará o peso e pode começar a rachar ou romper a sua câmara interna, formando bolhas e perdendo a utilidade.

Nesse caso, conduzir acima da sua capacidade de carga pode gerar um prejuízo maior para você, especialmente porque as seguradoras poderão culpar o excesso de carga e não darão nenhum auxílio ou ressarcimento.

3) Faça o rodízio dos pneus no seu caminhão

Os caminhoneiros que já trabalharam em transportadoras sabem que o rodízio de pneus de caminhão é uma prática comum nesses estabelecimentos. E há uma razão simples para isso: aumenta a vida útil dos equipamentos.

O que acontece é o seguinte: alguns dos eixos do caminhão recebem mais pressão do motor, da tração e da carga do que outros. Na prática, isso faz com que alguns pneus gastem mais.

Por isso, o rodízio é importante para equilibrar o nível de desgaste entre os pneus. Em vez de ter dois mais usados e outros mais conservados, você passa a ter todos mais ou menos no mesmo nível.

Isso é usar os pneus com maior otimização e não precisar trocá-los com tanta frequência.

4) Limpe os pneus para preservá-los por mais tempo

Pode parecer uma dica simples, mas você ficaria surpreso com a quantidade de motoristas que não lavam os pneus dos seus caminhões.

É claro que é impossível manter o pneu de um caminhão limpinho por muito tempo. Você vai rodar por estradas de terra e de asfalto, na chuva e no sol, o que vai acumular muita sujeira nele, especialmente nos sulcos e na calota.

Todavia, é importante que você lave os pneus quando tiver oportunidade, já que o acúmulo de sujeira ali pode causar danos à borracha, inclusive perigo de rasgar o pneu e exigir um conserto no meio da estrada.

5) Cuide da calibragem dos seus pneus

Verificar a calibragem é parte essencial da manutenção para pneus de caminhão, já que esse é um dos elementos que mais contribuem para o desgaste das peças.

Se o pneu estiver com pressão em excesso, vai gastar só a parte central do pneu, já que os flancos não terão aderência com o solo. Isso fará com que a maior parte do desgaste fique acumulada nessa região, desperdiçando o restante do material.

Já, se o pneu estiver com pressão de menos, vai acontecer o contrário: as bandas vão ter mais contato com o solo do que o centro, gastando mais também. Novamente, você perderá vida útil da peça por causa disso.

Portanto, sempre que possível, vá até uma oficina mecânica de confiança para checar a calibragem dos seus pneus e ver se estão de acordo com as especificações do fabricante.

6) Conte com uma oficina mecânica de segurança

Existem muitas ações que o caminhoneiro pode tomar para fazer a manutenção para pneu de caminhão. Todavia, algumas delas exigem conhecimento e prática profissional.

Nessas horas, é importante ter uma oficina mecânica de confiança, que conheça de caminhões e que conte com profissionais especializados na área para fazer a manutenção para você.

Esses profissionais entendem que o caminhão funciona como um conjunto poderoso de peças, onde uma causa impacta na outra, ou seja: um problema na suspensão pode aparecer nos pneus, por exemplo.

Por isso é importante que haja um cuidado em verificar cada sistema, procurando por falhas e deixando tudo em ordem antes de pegar a estrada.

7) Aposte na condução defensiva ao dirigir seu caminhão

Manter um olhar atento para a calibragem, o alinhamento e  o desgaste é parte da manutenção para pneu de caminhão. Mas existe também um detalhe que é tão ou mais importante: a condução.

O ideal é aprender e adotar hábitos de direção defensiva para diminuir os danos causados aos pneus ao dirigir por longos períodos e grandes distâncias.

Isso significa controlar as acelerações e freadas (para evitar movimentos bruscos), não fazer curvas em alta velocidade, atenção ao trocar as marchas e outros cuidados que aumentam a vida útil das peças.

Essas foram as nossas 7 dicas de manutenção para pneus de caminhão. Seguindo essas orientações, você notará que a vida útil das suas peças vai aumentar bastante, economizando dinheiro e tempo para você.

O que achou das nossas dicas? Você já usava alguma delas? Deixe um comentário com a sua opinião abaixo! 

Ver mais

Publicado em 12 de Junho de 2019

Logística no transporte de cargas super pesadas

O aumento na construção de grandes projetos da engenharia está impulsionando o setor de transporte de cargas super pesadas, com isso, é necessário que a logística de entrega reforce alguns cuidados na hora de carregar os produtos,sem exceder as leis estabelecidas.

Transporte da carga

 

Fazer com que a mercadoria chegue ao destino final em um curto período de tempo, pode ser um fator importante no momento do cliente estabelecer a compra, tornando a gestão de transporte na logística essencial para satisfazer as expectativas do consumidor.

     

Ao estabelecer o arranjo do trajeto até o destino final, é importante entender todas as exigências solicitadas para a locomoção das cargas fora de padrão, que excede as dimensões de um contêiner, ou de um caminhão ou carreta convencional.

Dimensões e pesos máximos permitidos

 

Para o Art. 101 do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, carga indivisível é aquela que, para fins de transporte, resulta em excessos tanto às dimensões regulamentares dos veículos (largura, comprimento e altura) quanto aos pesos máximos permitidos.

 

Conhecidos os pesos e dimensões máximas permitidas, o primeiro passo é conhecer o máximo possível sobre a carga a ser transportada: proprietário, natureza, geometria, peso, dimensões, origem e destino.

 

Com essas informações em mãos é possível pré-dimensionar o veículo, traçar algumas rotas alternativas, identificar os órgãos com jurisdição sobre as vias e rodovias do percurso, levantar a legislação e certificar-se dos requisitos necessários para a realização do transporte, assim como estimar prazos e custos com taxas e tarifas.

Tipo de veículo

O tipo de veículo escolhido para fazer o transporte das cargas super pesadas também precisa estar dentro dos requisitos impostos pela lei, assim, é possível com que a segurança seja garantida durante o trajeto.

 

Nesse sentido, o dimensionamento, especificação, ou escolha do(s) veículo(s) deve levar em conta:

 

  • Peso e dimensões da carga;

  • Centro de Gravidade da carga;

  • Resistência estrutural da carga

  • Desenho da carga

  • Tipo de veículo;

  • Dimensões (largura, comprimento e altura) da plataforma de carga

  • Tipo de eixo;

  • Distância entre eixos;

  • Tipo e dimensões dos pneus

  • Tipo de suspensão;

  • Pesos permitidos por eixo;

  • Tara do(s) veículo(s);

  • Capacidade técnica do(s) veículo(s);

  • Motorização dos veículos de tração

  • CMT do Caminhão Trator

O planejamento é a melhor saída para prevenção de acidentes ou ocorrências geradas pelo tipo de carga. Desta forma, empresas de engenharia de riscos ou mesmo consultores de prevenção de perdas podem auxiliar no planejamento das viagens, sejam terrestres ou marítimas.

 

Desde a escolha do modal correto, responsável não só pela segurança do transporte, mas também pela agilidade da entrega, a logística de transportes sempre deve ser vista como fonte de geração de valor para a empresa, já que está ligada a satisfação do cliente.

 

Ver mais

Publicado em 10 de Junho de 2019

Içamento de Cargas: Como Elaborar Este Procedimento

Um ponto muito importante quando o assunto é içamento de cargas é a elaboração do procedimento, uma vez que este processo é um tanto quanto delicado, e perigoso, fazendo necessário o uso de muita cautela e colaboração de profissionais altamente experientes e qualificados.

O processo de elaboração ideal é escrever um procedimento mais generalizado para as cargas suspensas e um procedimento mais detalhado para cada um dos tipos de içamento de cargas que existem, como por exemplo, guindaste, ponte rolante, munck, etc.

Se você precisa fazer isso e não sabe por onde começar, não se preocupe, nós da Transmáquinas elaboramos um procedimento de içamento de cargas para que você use como inspiração, lembrando que você deve fazer um exclusivo para a sua empresa de acordo com suas condições e processos.

Elaborando um procedimento de içamento de carga

No procedimento que você verá a seguir, nós separamos tudo por etapas para melhor entendimento. Confira.

1 - Epi´s

Nada melhor do que começar pensando no principal: a segurançados colaboradores envolvidos no processo de içamento de cargas, então, antes de mais nada, detalhe no procedimento quais serão todos os equipamentos de proteção individual a serem utilizados de forma obrigatória para tal atividade. Não se esqueça de separar um local para relacionar todos os EPI´s específicos também, além de também descrever a função de cada um deles.

2 - Materiais e equipamentos

Nesta etapa você deverá descrever todos os materiais ou equipamentos que serão necessários para a realização da atividade. Por exemplo:

Equipamentos: cordas, levantador magnético, cintas, correntes, anilhas, etc.

Materiais: cones, barreiras, fitas zebradas, telas de proteção, etc.

3 - Descrição

É preciso descrever corretamente quais e como serão todas as atividades envolvidas no processo de içamento de cargas, por isso, para efetuar tal tarefa é preciso fazer uma reunião pré-trabalho com todos os que participarão de tal processo, desde os executantes até os supervisores, gestores, etc.

4 - Operação

Nesta etapa descreve-se detalhadamente todas as fases da operação, desde os fatores de riscos e riscos, até as consequências e quais serão as medidas de controle tomadas para cada um deles.

5 - Meio ambiente

Também é necessário ver todo o dano que este processo fará ao meio ambiente, por isso é preciso fazer a medição da fumaça preta que os veículos emitem antes que eles comecem suas atividades.

6 - Expectativas

Descreva quais são os resultados esperados do processo de içamento e transporte de cargas.

7 - Itens para correção

Na sétima e última fase, você descreverá quais são os itens para corrigir imediatamente caso haja alguma falha ou imprevisto, detalhando o que é a falha, a sua causa e a solução para o problema.

Ver mais

Publicado em 16 de Maio de 2019

Tipos de Eixos Para Caminhões

Da mesma forma como existem tipos diferentes de caminhões de acordo com a necessidade da carga ou mesmo, do trajeto a ser realizado, é necessário conhecer e utilizar o tipo correto de eixo para caminhões.

Caso não tenha muito conhecimento ou mesmo, deseje tirar dúvidas sobre os tipos de eixos para caminhões, pode conversar com a equipe de uma oficina auto center ou ainda, conferir esse artigo na íntegra, para sanar dúvidas a respeito desse assunto!

O que são os eixos para caminhões

O eixo do caminhão é um componente de grande importância, especialmente pelo fato de que é a partir do eixo que se determina a quantidade de transporte e ainda, qual o modelo do caminhão.

Conhecido como eixo, é através desse item que serão instaladas as rodas, proporcionando a conexão correta entre um lado e outro do caminhão.

Eixos simples, duplos ou triplos são necessários para indicar qual a capacidade de carga do caminhão, que poderá chegar às 30 toneladas de carga.

Conheça os principais tipos de eixos para caminhões

Eixo simples

O eixo simples é indicado para os modelos de caminhões que conseguem realizar o transporte de cargas simples e leves.

Uma vez que até mesmo o modelo de caminhão é também mais leve do que os outros, possui maior liberdade e facilidade de circulação mesmo nos ambientes urbanos.

Com um eixo como esse pode ser indicado para o transporte de mudanças de residência e também, entregas de comércio.

No caso do eixo duplo possui um pneu em cada ponta, conseguindo suportar assim até 6 toneladas, sendo possível contar com a rodagem simples e a rodagem dupla.

A rodagem simples possui um pneu na ponta de cada eixo, já a rodagem dupla possui dois pneus em cada ponta e assim, consegue aguentar o total de 10 toneladas.

Eixo duplo

Temos ainda o modelo de caminhão com o eixo duplo, que dentro da sua categoria possuem ainda outras especificações em seus modelos.

No caso do eixo tandem que possuem rodas duplas sendo composto por dois eixos de forma que consegue comportar 2 rodas em cada extremidade ou ainda, com a opção de 3 eixos e 2 rodas em cada extremidade contabilizando assim 12 pneus ao todo.

Nessa opção, os eixos podem ser identificados com um maior distanciamento de forma que apresenta cerca de 2m de distância entre os eixos.

Eixos triplos

O eixo triplo pode ser composto de três rodagens duplas, com cerca de 12 pneus para cada caminhão.

Com o aumento dos eixos aumentam também a capacidade de carga para a movimentação dos veículos, dessa forma é possível carregar até 30 toneladas.

Cada modelo de caminhão uma necessidade, e um eixo específico

Previsto inclusive na legislação brasileira, existe uma combinação adequada entre o tipo de eixo e a rodagem, para indicar assim qual o melhor modelo de caminhão para determinada carga, levando em consideração inclusive, o peso da carga que poderá ser transportado.

Além da legislação é preciso seguir também a DNIT e ANTT, para que as cargas estejam distribuídas da forma correta de acordo com o peso que o caminhão pode transportar afinal, quanto menor for o eixo e também a rodagem do caminhão, menor deverá ser a capacidade que será distribuída por eixo.

É necessário também avaliar quais são as suspensões do caminhão que podem ser direcional, tandem e não tandem, especial e ainda a pneumática.

Para cada informação apresentada acima é necessário que seja devidamente identificada e seguida, para proporcionar uma viagem tranquila para o caminhoneiro e ainda, o transporte adequado para a carga.

Ver mais

Publicado em 13 de Maio de 2019

Içamento de Cargas: 10 Regras Básicas Para Ter Mais Segurança

O içamento de cargas é uma atividade extremamente comum, que acontece todos os dias, ainda mais quando se trata de obras em construção civil ou linhas de montagem em grandes indústrias.

Içamento de cargas

Certamente ao passar por uma obra você já observou que existem guindastes, gruas e diversos equipamentos que fazem elevação de cargas.

Tais equipamentos são de suma importância para oferecer maior rapidez e eficácia no processo, porém oferecem inúmeros riscos, dentre eles, o tombamento, as quedas de cargas, etc.

Sendo assim, realizar tal processo com segurança é ideal para garantir o bem-estar dos trabalhadores envolvidos e solidificar a imagem de uma empresa muito competente.

Por isso, hoje daremos dicas com 10 regras básicas para ter um içamento de cargas com segurança.

Dicas de Segurança para Içamento de Cargas

Oferecer um processo de içamento de cargas ou movimentação de cargas com segurança é ideal para garantir maior eficácia em seus projetos.

1) Equipamentos

Manter os equipamentos em dia é a principal maneira de garantir mais segurança no processo de içamento de cargas. Por isso fique de olho na manutenção dos mesmos, faça manutenções preditivas e preventivas, além de garantir o seu perfeito estado de conservação.

2) Local

Não adianta ter os melhores equipamentos e colocá-los para trabalhar em um local onde há desnível do solo, buracos, etc., sendo assim, faça análises que comprovem que o local onde equipamento irá trabalhar possui estabilidade comprovada.

3) Informações

Nesse processo toda informação é importante. Portanto garanta que você tenha todas as informações a respeito de peso, dimensões, centro de gravidade, capacidade máxima e mínima, etc.

4) Operadores

Os colaboradores que irão operar tais equipamentos devem ser treinados, possuir habilitações e certificações para tal serviço. Portanto certifique-se de que você tem o melhor pessoal em sua equipe.

5) Área

A área por onde a carga será erguida deverá ser corretamente isolada. Lembrando que a carga nunca deve passar acima de outras pessoas.

6) Rede elétrica

É ideal desenergizar ou bloquear todas as redes elétricas que estejam próximas a área onde as cargas serão içadas, assim graves acidentes podem ser evitados.

7) EPI’s

Além de manter as pessoas afastadas da área de içamento, todos os operadores envolvidos na obra devem usar os equipamentos de proteção individual corretamente.

8) Acessórios

Cada carga possui uma especificação de acessórios que deverá utilizar, por isso, inspecione todos os acessórios e verifique se eles estão de acordo com tipo de carga que será içada.

9) Plano de Rigging

Nós já falamos aqui do quão importante é o plano de rigging, então garanta que todos os envolvidos no içamento de cargas estejam cientes de todo o plano e seu passo a passo.

10) Clima

O mau tempo pode ocasionar graves acidentes, então não realize o içamento de cargas se houver ventos fortes ou chuva. A segurança dos operadores é mais importante do que qualquer outra coisa.

Ver mais

Publicado em 08 de Abril de 2019

Como é Feito o Transporte de Cargas Especiais?

O mercado de logística é uma área onde se faz necessária o uso da precisão e o correto seguimento das leis de acordo com a legislação, que estabelece quais são os limites permitidos em relação ao peso e ao tamanho da carga que será transportada nas carretas e nos caminhões.

 

Se mesmo após avaliação de tais especificações, a mercadoria não se estiver de acordo com os limites das operações comuns, utiliza-se o serviço conhecido como “heavy lift” ou transporte de cargas especiais, como é chamado popularmente. Continue lendo e saiba mais.

O que é o transporte de cargas especiais

 

O transporte de cargas especiais foi criado com o objetivo de suprir as necessidades de transportar as cargas que tem possuem seu peso ou o tamanho maior do que as cargas mais tradicionais, de forma que as empresas que fabricam/transportam tais peças e materiais possam ter mais flexibilidade.

 

Por isso, em 2005 surgiu uma resolução que regulamenta quais são as dimensões e pesos máximos que os caminhões precisam ter para transportar tais cargas. As principais regras são:

 

  • Os caminhões que farão o transporte de carga especial devem ter uma largura de até 4,5m, altura de 5,5m e comprimento de até 25m.

  • Já o limite máximo do peso bruto total calculado de acordo com as estradas, sendo 45 toneladas para as rodovias estaduais e até 70 toneladas para as rodovias federais.

 

Como é feito

 

Além de seguir à risca a legislação vigente, as empresas de transporte de cargas especiais, devem, obrigatoriamente, fazer estudos prévios de viabilidade, de modo que todos os detalhes acerca do trajeto da mercadoria até o seu destino final sejam analisadas a fundo.

 

Para isso, é feita uma análise do aspecto da estrada em todos os seus pontos (largura, quantidade de curvas, grau de inclinação, tipo do solo e etc.). Sendo assim, todo o percurso deve seguir um roteiro preparado, onde as dificuldades que vierem a surgir sejam previstas e já tenha uma solução prévia do que deve ser feito.

 

Num segundo momento, o veículo e a carga são dimensionados, de maneira que o peso e altura já estabelecidos por lei não sejam ultrapassados. Para garantir eficácia nesse processo, alguns dos componentes mais pesados em reatores serão retirados, o que permite o seu transporte com uma sobra.

 

Por último, após tudo isso pronto, é preciso fazer um agendamento de todas as travessias que serão necessárias, uma vez que existem casos onde é preciso fechar pistas, trechos da pista, canteiros ou até mesmo os acostamentos.

 

Lembrando que para esse processo é preciso contar com a ajuda e a presença interina da polícia rodoviária e concessionárias, visando realizar tudo da melhor forma sem que aconteça algum imprevisto ou dor de cabeça.

Contratar uma empresa de transporte de cargas especiais

 

Para que tudo ocorra como esperado, deve-se contratar uma empresa que realmente saiba o que faz e tenha um histórico de credibilidade. Além disso, você deve estar atento também à habilitação dos colaboradores dessa empresa e seu tempo de experiência.

 

Está interessado pelo serviço de transporte de cargas especiais? Faça sua cotação ou solicite um contato, clicando aqui.

Ver mais

Publicado em 11 de Março de 2019

Dicas fundamentais para executar um içamento de cargas

O processo de içamento de cargas requer extrema atenção e cuidado com todos os detalhes, uma vez que o risco de acidentes é alto e muito comum durante esse tipo de procedimento, que é realizado em indústrias e dentro da construção civil, por meio de guindastes, empilhadeiras, gruas, etc., ou seja, equipamentos que podem elevar e posicionar cargas corretamente.

Que esses equipamentos facilitam, e muito, a tarefa de elevação de cargas é verdade, afinal eles reduzem os esforços e aumentam a produtividade dos trabalhadores, mas em contrapartida os riscos são altos.

Para garantir que você faça um içamento de cargas seguro e tenha a certeza de que está fazendo o processo correto, separamos algumas dicas fundamentais para executar o procedimento da melhor forma. Confira!

Dicas de segurança para elevação de cargas

Análise do estado dos equipamentos

Antes de utilizar os equipamentos é preciso analisar o estado de conservação do mesmo. Fazer a manutenção preventiva é uma ótima forma de começar, assim, é possível identificar quais são as peças que estão sofrendo desgaste, as que necessitam ser substituídas e quais serão as soluções para garantir um bom funcionamento do equipamento.

Utilize os EPC’s

EPC é a sigla utilizada para Equipamentos de Proteção Coletiva, que nada mais são do que os equipamentos que possuem objetivo de zelar pela segurança de um grupo de pessoas que estão executando determinada tarefa.

Cones, barreiras, fitas zebradas, telas de proteção, redes, sinalização adequada e boa iluminação são alguns itens obrigatórios para locais onde está sendo feito o içamento de cargas, uma vez que assim é possível informar à todos os colaboradores a respeito dos riscos que estão expostos e quais os cuidados que devem ser tomados para que sejam evitados quaisquer tipos de acidente.

Faça o uso de EPI’s

Diferentemente dos EPC’s, os EPI’s são os equipamentos de proteção individual, ou seja, que possuem o objetivo de zelar e proteger apenas o indivíduo que está utilizando.

Alguns exemplos são: capacetes com jugular, botas de segurança com bico de aço, protetores auriculares, luvas de lona, óculos de proteção, e assim por diante. Cada tipo de atividade tem o EPI correto a ser utilizado, por isso verifique quais são necessários para o içamento de cargas.

Faça treinamentos

É totalmente inútil ensinar apenas de forma teórica quais são os procedimentos que devem ser executados pelos seus funcionários em caso de acidentes e também qual é a melhor forma de executar suas atividades.

Sendo assim, invista em treinamentos com uma certa frequência em sua empresa. Ensine na prática o que deve ser feito e quais são os principais cuidados a serem tomados durante todo o processo de elevação de cargas.

Por fim, agora você sabe quais são os principais métodos a serem utilizados para realizar um içamento de cargas com segurança. Conheça mais sobre a Transmáquinas e confira todos os serviços que executamos no Brasil inteiro!

Ver mais

Publicado em 25 de Fevereiro de 2019

Como evitar danos no transporte de cargas pesadas?

O transporte de cargas pesadas requer muita atenção e cuidados profissionais,  uma vez que apenas dessa forma pode-se garantir que a operação seja efetuada com total segurança e sem prejuízos para ambas as partes envolvidas no processo, sendo elas a transportadora e o cliente que a contrata.

Nesse post falaremos sobre os riscos que podem ocorrer durante o transporte de cargas e quais são os principais e mais efetivos métodos para evitar danos durante a operação. Confira!

Quais são os principais riscos?

Como já falamos em outros posts, a movimentação de cargas pesadas é uma tarefa muito delicada. Ao realizá-la de forma insegura, podem ocorrer inúmeros acidentes e trazer riscos aos produtos e aos profissionais que estão envolvidos no processo.

Sendo assim, uma vez que os riscos podem atingir materiais e a integridade física de outras pessoas, trata-se de assunto muito sério. Além de que, o nome da empresa também poderá ser afetado, fazendo com que a mesma perca sua credibilidade e, posteriormente, pode vir a falir por falta de clientes que não confiam no trabalho.

O que fazer para evitar danos no transporte de carga pesada?

Para lhe dar uma “luz”, nós trouxemos algumas medidas simples, que não trazem a necessidade de grande investimento financeiro, mas que certamente fazem muita diferença. Veja:

Indicadores de impacto

Este instrumento permite verificar se os choques sofridos pela carga possuem um nível suportável, além de identificar o momento exato em que os danos ocorreram. Ele fica diretamente ligado ao produto e faz a captação das batidas ou pancadas que podem acontecer.

Evite espaços vazios

Quanto mais espaço vazio dentro do caminhão, mais chances da carga se movimentar dentro dele e, consequentemente, se colidir com outros produtos.

Sendo assim, é preferível que toda a carroceria esteja ocupada. Caso não haja produtos o suficiente para isso, opte por lonas, isopor ou sacos de ar.

Use boas embalagens

Pensar nas embalagens que irão acomodar as cargas também é necessário. Elas devem ser flexíveis, resistentes e fáceis de empilhar e manusear.

Como você viu, o transporte de cargas pesadas é sério e não podemos brincar em serviço, todo cuidado realmente é pouco.

E se você deseja ficar por dentro de tudo sobre este setor, acompanhe quinzenalmente os nossos posts com dicas sobre tudo o que envolve o transporte de cargas em geral.

Ver mais
+55 34 3814-2719 Ligue e faça uma cotação
Twitter Google + Facebook

Acompanhe-nos

Empresa Transmáquinas

MATRIZ
Rua : Estrada Canavial 100
Cep :38706-316
Patos de Minas -Minas Gerais - Brasil

Email:contato@transmaquinas.com.br
Telefone:+55 (34) 3814-2719


©2013 Grupo Transmáquinas / Política de Privacidade - Padrão de Referência em Guindastes

Desenvolvido por Mazag Marketing Digital