Site em Português English Site

My Cart (0)

>> >>

Blog 

Publicado em 11 de Fevereiro de 2019

Cuidados fundamentais ao fazer um transporte de cargas especiais

O mercado de transportes no Brasil é muito amplo e também arriscado. É realmente importante que os produtos e materiais a serem transportados cheguem ao destino final sem sofrer nenhum dano.

 

Todo tipo de transporte de cargas requer muita atenção e planejamento, mas quando se trata do transporte de cargas especiais, os requisitos fundamentais são um pouco mais detalhados e precisos. Confira abaixo quais são:

 

Transportadora

 

Escolher bem uma transportadora é o primeiro passo, afinal, é ela quem conduzirá a mercadoria até o destino. Sendo assim, esteja sempre atento à credibilidade, histórico, infraestrutura e benefícios que a mesma oferece. Muitos produtos requerem algumas adaptações nos veículos para serem transportados com segurança, então você também precisa verificar se a empresa atende as suas necessidades.

 

Embalagem

 

Existem embalagens adequadas para cada tipo de produto a ser transportado. Um bom exemplo é o vidro, que deve ser muito bem acondicionado com plástico bolha, caixas de papelão, etc.

Não deixe essa etapa de lado, pois além de proteger o produto, as embalagens também são um instrumento de marketing.

 

Rotas

 

Planejar corretamente a rota é uma estratégia que contribui muito para o sucesso do transporte de cargas especiais. Isso porque, se o caminhão já sair do centro de distribuição com uma rota estudada e estipulada, o tempo de viagem será reduzido, assim como a exposição dos produtos aos riscos de deslocamento e haverá economia.

 

Ademais, utilizando informações geográficas é possível saber quais são os trechos mais perigosos, com condições precárias, etc.

 

Motoristas

 

Os motoristas certamente são os principais personagens do transporte de cargas. O Brasil possui milhares de profissionais dessa área e também é preciso assegurar que o seu produto será transportado por um caminhoneiro bem treinado, responsável e que tenha um bom histórico.

 

Conforme você viu, o transporte de cargas especiais exige muita atenção. Então conte com uma transportadora que tenha boas referências e credibilidade, conte com a transmáquinas.

 

Ver mais

Publicado em 28 de Janeiro de 2019

O que você precisa saber sobre o Plano de Rigging

A norma regulamentadora do Ministério do Trabalho, NR12 possui em seu anexo a definição e condições do Plano de Rigging.

 

Se você não o conhece, saiba que este plano trata-se de um planejamento detalhado e formalizado de um processo de movimentação de carga com guindastes, tendo como objetivo principal a redução de falhas no transporte de cargas, uma vez que com ele é possível estudar a carga que será içada, os guindastes e acessórios mais adequados para a tarefa, além de analisar também o piso em que o equipamento ficará, o vento, possíveis interferências, etc.

 

Importância

 

Somente através do plano de rigging é possível fazer um içamento ou movimentação de cargas de uma forma eficiente e totalmente segura, além de otimizar o tempo, os recursos aplicados e diminuir custos.

 

Obrigatoriedade

 

Segundo a NR12 o planejamento de operações que envolvam riscos de acidentes de trabalhos em máquinas e equipamentos é obrigatório. Além de fazer tudo em conformidade com os procedimentos de trabalho e segurança, a norma também pede que o processo seja acompanhado/supervisionado por um profissional habilitado e devidamente qualificado.

 

Tal obrigatoriedade pode ser vista em empresas que contratam profissionais da área para desenvolverem seus devidos planos de içamento crítico ou normal, visto que em ambos os casos é extremamente necessário pormenorizar todas as etapas, de forma que as possibilidades de erros sejam reduzidas consideravelmente.

 

Confira o que é estudado no Plano de Rigging:

 

  • Tipos de guindastes;

  • Componentes do guindaste;

  • Definições e normas;

  • Ergonomia e riscos;

  • Peso e centro de gravidade;

  • Planejamento do apoio do guindaste;

  • Planejamento próximo à rede elétrica;

  • Prevenção de acidentes e primeiros socorros;

  • Tipos e características do cabo de aço.

 

De um modo geral, no Plano de Rigging é possível calcular corretamente o peso das peças ou materiais que serão transportados, de forma que o melhor equipamento e processo de operação possa ser escolhido.

 

Quer saber mais sobre esse tipo de serviço? Continue acompanhando o nosso blog semanalmente e fique por dentro das principais notícias relacionada ao mundo de transportes e movimentação de cargas.

Ver mais

Publicado em 14 de Janeiro de 2019

Como é a logística de transporte de cargas especiais

O transporte de cargas especiais demanda de uma estrutura logística sempre complexa e muito desafiadora. Na grande maioria dos casos, caga carga exige um projeto e planejamento diferenciados e muito detalhados, considerando que: uma vez carregado o caminhão, não se pode mais voltar atrás, ou seja, ou a carga vai ou vai.

Para isso, é indispensável que os possíveis itinerários para a locomoção da carga seja viabilizado, ainda mais quando a mesma possui características que exigem um estudo de rota muito rigoroso. Confira como é feita a logística de transporte de cargas especiais.

Primeiros passos

Tudo começa com um estudo de viabilidade estrutural e geométrica. A rota a ser utilizada é escolhida de acordo com o peso da carga, o que assegura uma operação mais segura e o real levantamento dos custos. Uma vez feito o levantamento, é hora de obter o AET (Autorização Especial de Transporte) junto aos órgãos competentes.

Restrições

Dentro do planejamento também deve se ter uma atenção especial quanto às restrições de horário de circulação de caminhões nas metrópoles.

Rodovias em mau estado

O estado de conservação das rodovias também comprometem, e muito, a eficiência do planejamento logístico e claro, deprecia os veículos, aumentando o custo de manutenção e reparos nos mesmos. Por isso é necessário estudar bem a rota para evitar as rodovias mais prejudicadas.

Segurança

Como já falamos aqui, o Brasil é um dos países onde mais existem roubos de cargas. Por isso, para garantir mais segurança ao cliente e evitar futuros prejuízos, também faz-se necessário a contratação de um seguro de cargas, o que eleva o custos de transporte, mas que não pode ser deixado de lado.

Quer saber mais sobre esse tipo de transporte de carga? Continue acompanhando o nosso blog semanalmente e fique por dentro das principais notícias relacionada ao mundo de transportes e movimentação de cargas.

 

Ver mais

Publicado em 20 de Dezembro de 2018

Qual o melhor meio de transporte para escoar a produção

Sabe-se que o agronegócio é um dos maiores pilares econômicos do Brasil, sendo responsável por 30% do PIB e até mesmo 40% das exportações anuais. Entretanto, isso não tira dos produtores rurais de passarem por dificuldades que podem comprometer toda a produção. Um desses desafios é o transporte utilizado para escoar a lavoura.

No Brasil, os meios para o escoamento de lavouras agrícolas mais utilizados, atualmente, são o transporte rodoviário e ferroviário. Entretanto, ainda que representem apenas 5% da utilização, o transporte hidroviário também pode ser citado.

Saiba quais são as principais vantagens e desvantagens dos meios de transporte de escoamento responsáveis por grande de todos os produtos de origem agrícola transportados internamente no país: o transporte rodoviário e o ferroviário.

Escoamento via transporte rodoviário

No país, 67% da produção de soja é escoada pelo transporte rodoviário, porém o produtor tem dificuldades de efetuar o escoamento das produções, pois as rodovias interestaduais, como, por exemplo, as BRs 163, 262 e 267, se encontram em condições precárias, com poucas vias duplas, e que pode comprometer a produção. Além disso, há um alto fluxo de veículos de grande porte nessas rodovias, que muitas vezes não têm pedágios e isso acaba contribuindo para sua precarização.

Em termos gerais, o transporte rodoviário pode acarretar muitos problemas devido às grandes distâncias que precisam ser percorridas à pouca capacidade de carga dos caminhões. O custo é alto devido ao consumo de combustível e a carga fica mais vulnerável a roubos, furtos e acidentes.

Escoamento via transporte ferroviário

Cerca de 28% do escoamento de produção agrícola é feito pelas ferrovias. O transporte ferroviários é geralmente utilizado ao escoamento de cargas com menos valor. Apesar de ser menos utilizado, o transporte ferroviário tem vantagens como uma maior capacidade de transporte e armazenamento das cargas, além de ter um custo menor pela distância percorrida e menos utilização de combustível.

Além disso, a vulnerabilidade da carga é menor e raramente são enfrentados problemas de locomoção. Entretanto, ainda que seja financeiramente mais viável, o transporte ferroviário não é acessível a todas as partes do país, o que acaba impossibilitando sua utilização em grande escala. A necessidade de baldeação entre veículos ferroviários e rodoviários acaba encarecendo o transporte.

Ver mais

Publicado em 27 de Novembro de 2018

Dicas para contratar uma empresa de transporte de cargas pesadas

O transporte de cargas pesadas é fundamental para a logística e distribuição do nosso país, sendo de suma importância para empresas brasileiras, sejam elas pequenas, médias ou grandes.

Dentro disso, é indispensável escolher bem uma empresa de transporte de cargas que seja de confiança, segura e eficiente. Por isso, hoje separamos algumas dicas para contratar uma empresa de transporte de cargas pesadas.

 

Bom histórico/Referências

Dizem que a melhor propaganda é a boca a boca, e é verdade. Só quem já contratou os serviços de determinada empresa pode falar a respeito de sua experiência com a mesma, não é? Por isso antes de contratar uma transportadora, investigue seu histórico e, se possível, colha algumas referências de pessoas que já a contrataram.

Custo x Benefício

Você já ouviu aquele ditado que diz: “às vezes o barato sai caro”? Ele faz todo sentido quando o assunto é escolher uma empresa de transporte de cargas apenas porque ela possui os menores preços. Nem sempre a mais barata é a melhor opção. Além de avaliar o preço, veja quais problemas ela costuma apresentar, seu histórico de pontualidade, caminhões, segurança… são n fatores que devem ser analisados.

Comprometimento

Se a empresa que você está pensando em contratar é comprometida com suas responsabilidades, então essa pode ser a melhor opção a levar em consideração. Existem três perguntas essenciais para descobrir isso: a empresa se esforça para entender quais são as suas necessidades? Ela entende perfeitamente os processos de sua empresa? O atendimento é bom? Se todas as respostas forem positivas, ótimo. Mas se alguma delas for negativa, talvez seja melhor fazer outra escolha.

Se você ainda está em dúvida sobre qual escolher, lembre-se que a Transmáquinas, além de ser uma das maiores transportadoras de carga pesada do Brasil, é conhecida nacionalmente por seus trabalhos impecáveis e prestação de serviços que deixam os clientes com 100% de satisfação. 

Ver mais

Publicado em 06 de Novembro de 2018

Quais são os desafios do transporte de carga pesada

O transporte de cargas tem muitos obstáculos já conhecidos, como o alto índice de assaltos e as rodovias sem manutenção. Mas além desses, há muitos outros desafios a serem enfrentados. O setor de transportes é um dos mais difíceis de uma empresa, afinal, para que tudo saia perfeitamente bem, é preciso investir muito, além de entender muito bem da complexidade do negócio.

Por isso, neste artigo você confere os três principais desafios do transporte de cargas pesadas.

Falta de profissionais preparados

Não adianta ter veículos de alta qualidade e garantia de segurança durante o transporte de cargas pesadas se não houver profissionais devidamente preparados para dar seguimento ao projeto. Os engenheiros, por exemplo, são de extrema importância, uma vez que são eles que fazem cálculos mais complexos, examinam as fundações, utilizam corretamente a cinta de elevação e analisam quão segura é a operação.

Logística

Se a logística não for bem planejada, problemas sérios ocorrerão certamente. A ideia principal é fazer bom proveito dos recursos, evitar o máximo de gastos supérfluos e realizar uma entrega mais ágil. Toda empresa deve contar com uma equipe totalmente preparada para atender as demandas de pedidos a fim de satisfazer seus clientes e obter ainda mais credibilidade.

Segurança

Quando o assunto é movimentação de cargas pesadas, o cuidado é o mais importante, pois, qualquer erro mínimo pode causar danos à mercadoria, além de acidentes graves que podem pôr em risco até mesmo a vida dos colaboradores. O produto a ser movimentado/transportado deve ser corretamente fixado nos caminhões e bem distribuído nos eixos do caminhão que fará o transporte.

Ainda falando em segurança, vale ressaltar que a empresa deve estar preparada para prever problemas que podem acontecer desde o pedido do cliente, até a entrega final do produto. Assim, além de evitar prejuízos, você terá mais lucros e clientes felizes.

Ver mais

Publicado em 02 de Outubro de 2018

Principais Tipos de Transportes Brasileiro

Você sabe quais são os principais tipos de transportes brasileiro de cargas? Na postagem de hoje, iremos abordar detalhadamente sobre o transporte rodoviário, ferroviário, aeroviário e hidroviário com base na análise da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), Ministério dos Transportes, Ministérios do Anuário e de instituições reguladoras.

RODOVIÁRIO

O rodoviário é o principal transporte utilizado no território nacional se comparado aos demais tipos. Uma boa análise do quanto esse setor têm tido uma proporção, entre 2001 e 2015, a malha rodoviária cresceu aproximadamente 40 mil quilômetros, seja em estradas pavimentadas ou não.

Atualmente, o mercado de trabalho conta com 700 mil profissionais autônomos, 156 mil empresas de transporte de carga regularizadas, 329 cooperativas, além de mais de 1 milhão de veículos trafegando pelas estradas do país. Segundo o Anuário CNT, cerca de 41,6% dos motoristas estão satisfeitos com o pavimento das estradas, porém, apenas 12,5% dos profissionais estão de acordo.

Porém, um fator que deixou evidente a fragilidade do transporte rodoviário foi a crise econômica, principalmente para o Transporte de Cargas. Muito por conta do aumento disparado de frotas e motoristas, devido à expectativa criada após a disponibilidade de crédito oferecidos pelo BNDES. Automaticamente o reflexo acabou sendo no preço dos fretes não cobrindo os custos mínimos.

De acordo com o Plano Nacional de Logística e Transportes do Governo Federal estima-se que são necessários mais de R$ 400 bilhões para sanar os casos de transporte nas rodovias e estradas. Enquanto para o CNT (Confederação Nacional de Transporte), o valor está próximo de R$ 1 bilhão.

FERROVIÁRIO

O ferroviário tem um potencial enorme, mas é pouco explorado, isso porque o Brasil conta com aproximadamente 30 mil quilômetros de malha. Um fator que contribui negativamente para a expansão está diretamente relacionado à falta de integração das malhas ou manutenção, com isso o setor acaba ficando em segundo plano.

De acordo com dados registrados em 2010 pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o principal problema está justamente na falta de investimento para a construção de novas via. Para ter uma noção, em 2008 o modal rodoviário recebeu cerca de R$ 33 bilhões, enquanto para o ferroviário foi aplicado apenas R$ 4,5 bilhões.

Quem também tem registros interessantes sobre este mercado é o Anuário CNT, apontando que hoje são mais de 100 mil vagões existentes, considerando inclusive as 12 principais concessionárias do país, com cerca de 40 mil funcionários. Estima-se que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) irá investir R$ 91 bilhões até 2038.

Atualmente, as principais cargas neste setor são para transportar minério de ferro e grãos da agroindústria. Infelizmente, inúmeras mercadorias que normalmente deveria ser transportadas acabam sendo levadas nos caminhões e devido às péssimas situações das estradas, afeta diretamente na entrega e também nas condições das mercadorias.

AEROVIÁRIO

O setor aeroviário é promissor para o brasileiro devido ser a segunda nação do mundo em número de aeroportos. No total, existem 2.465 aeródromos registrados (1.806 privados e 657 públicos), porém somente 65 deles concentram praticamente 98% do tráfego.

Uma das principais dificuldades é com a concentração de voos e horários, em cidades ou capitais mais populosas. Assim, interferindo indiretamente na organização e planejamento, e consequentemente, apenas 20% dos compartimentos dos aviões são utilizados para transporte de cargas, segundo informações da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR).

HIDROVIÁRIO

O setor hidroviário conta com 14 mil quilômetros de extensão e é muito comum no Norte do Brasil. Embora efetue 90% das exportações brasileiras, é o transporte menos explorado, considerando as bacias hidráulicas existentes no país.

Nosso território nacional conta com 37 portos públicos e os principais transporte de cargas costumam ser petróleo, soja, derivados e minério de ferro. O principal porto do país é o de Santos por conta da sua posição estratégica, vide dados do Anuário CNT, onde cerca de 1 bilhão de toneladas são transportadas no Brasil e aproximadamente 100 milhões foram pelo Porto de Santos.

Ver mais

Publicado em 18 de Setembro de 2018

Curiosidades: 3 Gigantes Guindastes do Mundo

Você sabe quais guindastes estão entre os maiores do planeta? No post de hoje iremos trazer essa curiosidade e como surgiu o equipamento para o mundo. Devido a evolução constante da tecnologia ao passar dos anos, hoje, são essenciais para a construção, seja para viadutos e pontes, ou para o içamento de cargas e equipamentos pesados.

Segundo alguns historiadores, os primeiros equipamentos surgiram na Grécia, na idade antiga, e sua locomoção era feita por animais e pessoas escravas. Mas existem controvérsias de que provavelmente seja invenção romana e apresentava sérias limitações. Bom, independentemente de quem inventou o guindaste para o mundo, o foco de hoje é conhecer três dos maiores do mundo, vamos conferir?

KOCKUMS CRANE

guindastesPossui 138 metros de altura e foi um guindaste construído nos anos 70, em relação o peso tem cerca de 7,5 mil toneladas, podendo erguer 1,5 mil toneladas com grande rapidez e agilidade. É considerado um dos maiores guindastes de todo o mundo.

SAIPEM 7000

guindastes(1)O SAIPEM 7000, de proriedade da petroleira Saipem SpA, é considerado por muitos, como um navio grua. Sua capacidade de elevação é de 14 mil toneladas, com uma lança em aproximadamente 42 metros. Além disso, também é um construtor de plataformas, e conta com um alojamento para até 800 pessoas, um hospital e sala de projeção.

BIGGER 125D AFRD

guindastes(2)O Bigger 125D AFRD foi construído pela Shaw Group e planejado para trabalhar em plantas nucleares nos Estados Unidos e custou cerca de 50 milhões de dólares. Com capacidade para levantar do solo 7,5 mil toneladas, sua lança fixa tem 171 metros de altura e pode chegar até 262 metros.

Ver mais

Publicado em 04 de Setembro de 2018

Qual a finalidade do Plano de Rigging?

No post de hoje, iremos novamente abordar um assunto corriqueiro na frente de obra e importantíssimo, o Plano de Rigging. Esse é o nome do processo de planejamento para atividades de içamento de cargas, uma atividade frequente e perigosa, por isso, todo cuidado é pouco e a atenção deve ser redobrada durante a elaboração deste documento.

A finalidade deste plano de rigging nada mais é do que planejar as atividades a serem executadas, garantindo total segurança durante a movimentação e içamento de qualquer tipo de carga. Por meio de cálculos, análises e pesquisas de campo, a fim de definir qual o tipo de guindaste e equipamento à ser utilizado de forma segura na operação e principalmente sem acidentes.

IMPORTÂNCIA

É extremamente crucial salientar que o plano de rigging está em vigor por uma norma regulamentadora do Ministério do Trabalho – NR 12 – anexo (XII), que trata do planejamento detalhado e formalizado das movimentações de cargas quando houver a necessidade de utilizar guindastes.

Outra informação importante é que esse plano também está regulamentado em outra norma, Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – NR 18 – determinando qualquer tipo de operação ou implantação de equipamentos e máquinas guindaste, com o objetivo de guindar.

Em meio a outras palavras, o plano de cargas trabalha com o foco na prevenção de acidentes aos envolvidos na operação e quem se encontra no raio de operação, podendo ser originado pela movimentação das diferentes cargas transportadas pelos guindastes.

Sendo assim, a importância do plano é facilmente de ser compreendida. Planejar é obrigatório, isso já sabemos, e segundo a NR, é indispensável que seja feito sob o acompanhamento de um profissional capacitado e autorizado para desenvolver e executá-los.

OBRIGATORIEDADE?

A obrigatoriedade do planejamento de operações é clara pela legislação. Mas, conforme item 4.7 da NR-12, não existe obrigatoriedade para operações que não sejam para içamento de pessoas.

 

 

Ver mais

Publicado em 21 de Agosto de 2018

Operação de Guindaste: 5 Itens de Segurança

Alta capacidade para transportar cargas pesadas, robustos e cada vez mais modernos e versáteis, os guindastes são utilizados para içamento e movimentação de insumos ou peças pré-fabricadas, em alturas e distância elevadas. No entanto, operar esses equipamentos de forma prudente não são tão simples quanto parece ser. Hoje, vamos conhecer cinco itens de segurança para uma operação de guindastes.

Partindo do príncipio é de suma importância ter um bom planejamento, seguir às normas e regulamentações em vigência, e também, profissionais qualificados e capacitados. Isso tudo porque os riscos estão permanentemente presentes e envolve riscos, não apenas em relação ao patrimônio, mas também com as pessoas em seu entorno, e por essa razão, os cuidados devem ser adotados para garantir a segurança de todos.

Antes de mais nada, iremos começar abordando a Norma Regulamentadora para execução dessa atividade: NR-11 - Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais, com o intuito de prezar pela segurança na operação de elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras.

Agora, vamos conhecer os cinco itens de segurança para uma operação de guindastes:

1) OPERAÇÃO DE RISCO

Um dos perigos que mais aparece é o tombamento da máquina. Resultado de uma falha durante o processo de estabilização do equipamento, seja por imprudência, negligência ou imperícia. Também podem ocorrer, problemas de afundamento do guindaste devido falhas no dimensionamento da resistência do terreno ou por sobrecargas não calculadas.

2) QUEDAS E CHOQUES

É fundamental ter profissionais com domínio de técnicas de amarração de carga, incluindo amplo conhecimento na execução da atividade como, manuseio de tabela de acessórios e princípios básicos de física e matemática. Estes princípios são essenciais para mitigar eventuais problemas causados por queda de objetos.

Outro perigo e que devemos manter longe, é em relação a ocorrência de choque elétrico. Sendo imprescindível o entendimento das distâncias seguras para trabalho de guindastes diantes de determinadas condições meteorológicas, como neblina, fumaça e chuva.

3) PLANEJAMENTO

O planejamento será determinante para qualquer operação com guindastes, seja ela simples ou em situações mais complexas.

Para os casos mais simples, é recomendado um formulário com informações sobre valores de carga, configuração do guindaste, capacidade informada na tabela e acessórios. No entanto, para as ocorrências mais complexas, deve ser elaborado um plano rigging contendo detalhes de amarração, folgas operacionais e suas respectivas configurações.

Abaixo, iremos listar três pontos importantíssimos para focar em um planejamento:

Equipamentos:

Foram inspecionados e testados?

Tem capacidade adequada para a operação?

Estão em condições seguras de operação?

Existe um responsável técnico legalmente habilitado?

Pessoas:

São certificadas?

Estão aptas a operar os equipamentos?

Têm experiência suficiente e estão de acordo com o nível de dificuldade da operação?

Procedimentos:

Eles estão bem definidos e cobrem todos os pontos da operação? Os colaboradores têm conhecimento e aplicam esses procedimentos?

4) QUALIFICAÇÃO DOS OPERADORES

Além de um planejamento exequível, uma operação segura deve conter profissionais com aptidão, capacitado em curso ministrado por profissionais com proficiência no assunto e saúde avaliada por meio de exames médicos conforme programa de controle médico de saúde ocupacional (PCMSO).

Para uma operação de guindastes, normalmente, a equipe é composta por um supervisor de movimentação de cargas, um operador para cada equipamento e auxiliares de movimentação de cargas (sinaleiros amarradores), e todos devem ter ciência de suas responsabilidades e atribuições.

5) FATOR EQUIPAMENTO

A especificação do guindaste correto para cada situação é fundamental para garantir boa produtividade e segurança às movimentações de cargas. As manutenções devem ser aplicadas rigorosamente para assegurar o bom estado de funcionamento do equipamento, seguindo o plano preconizado pelo fabricante.

 

Ver mais
+55 34 3814-2719 Ligue e faça uma cotação
Twitter Google + Facebook

Acompanhe-nos

Empresa Transmáquinas

MATRIZ
Rua : Estrada Canavial 100
Cep :38706-316
Patos de Minas -Minas Gerais - Brasil

Email:contato@transmaquinas.com.br
Telefone:+55 (34) 3814-2719


©2013 Grupo Transmáquinas / Política de Privacidade - Padrão de Referência em Guindastes

Desenvolvido por Mazag Marketing Digital