Site em Português English Site

My Cart (0)

>> >>

Blog 

Publicado em 24 de Março de 2020

Carreta Prancha e o Transporte de Cargas Pesadas

Responsável pelo transporte de cargas pesadas e de difícil manuseamento, a carreta prancha é bastante presente na rotina de grandes construções, que necessita de maquinários e cargas pesadas.

O fato de muitas vezes precisar percorrer longos trajetos até o canteiro de obras  torna o transporte desses equipamentos diferenciados, necessitando de muito planejamento e organização para realizá-los de forma eficaz e segura. 

Transporte de cargas pesadas

O transporte de cargas especiais pode ser bem desafiador para os profissionais da área. Isso porque esse tipo de procedimento exige um extremo cuidado por parte de todos os envolvidos. 

Qualquer tipo de acidente gerado durante a transferência das máquinas ou materiais, pode resultar em grandes prejuízos, não só financeiros, como também de segurança aos envolvidos.

Regras do transporte de cargas pesadas

As regras e cuidados para o transporte de cargas pesadas é diferente das comuns, por isso, toda a logística deve ser planejada com muita atenção. 

Esse tipo de carregamento possui algumas classificações, como: mais de 50 toneladas, cargas frágeis e maquinários industriais. 

Nesses casos, a principal regra de segurança está nas amarras, que quando feitas corretamente, evitam que os produtos fiquem soltos e gerem acidentes durante o caminho. 

Outro tipo de preocupação é analisar as condições das rodovias e escolher a que mais vai garantir a segurança do motorista e, também daqueles que vão estar trafegando pela mesma estrada, visto que tantas toneladas podem apresentar muitos perigos. 

Além disso, transportes com mais de 60 toneladas tornam obrigatória a solicitação de permissão para trafegar em algumas rodovias e, a contratação de batedores para fazer a escolta até  local da entrega. Dessa forma é possível evitar o envolvimento de outros veículos em caso de acidentes.

 

Carreta prancha e o transporte de cargas especiais

Fabricado especialmente para transportar esse tipo de material, a carreta prancha é um veículo versátil e resistente à pesos elevados, atendendo perfeitamente esse tipo de  demanda. 

Além disso, possui diversos tipos de modelo, a fim de se adequar a cada tipo de necessidade. 

 

Ver mais

Publicado em 13 de Março de 2020

Manutenção de Máquinas: Entenda Quais Aspectos Levar em Conta

Qualquer pessoa que tenha qualquer tipo de maquinário a seu dispor sabe que é necessário pensar na manutenção de máquinas com frequência. Afinal, sempre é necessário algum tipo de ação para corrigir ou prevenir algum problema.

No entanto, é muito comum ficar em dúvida em relação as regras de manutenção de máquinas, como a frequência da realização, que tipo de ação tomar e como agir no geral.

Se você quer saber quais são os princípios básicos que norteiam a manutenção de maquinários e outros tipos de equipamentos, siga a leitura do artigo abaixo!

O que causa danos em máquinas de todos os tipos?

O primeiro elemento a se ter em consideração sobre a manutenção em máquinas de todos os tipos é entender quais são os fatores que causam danos nos equipamentos.

Afinal de contas, a manutenção é um tipo de ação para prevenir ou corrigir (falaremos sobre isso em breve) algum problema no equipamento. Sem danos causados, a manutenção se torna desnecessária.

Fatores

Para começar, o primeiro fator de dano a ser considerado em relação a um maquinário é o desgaste natural de suas peças. Isso acontece porque a execução de uma ação de máquina causa danos em seus componentes.

É raríssimo ver uma máquina cuja ação, naturalmente, não cause dano em suas peças. Isso porque, normalmente, o equipamento precisa gerar energia ou realizar algum movimento e o desgaste é natural.

Pense, por exemplo, em um carro. O seu motor está queimando combustível constantemente, as rodas estão girando, o freio precisa se mover quando acionado. Tudo isso causa desgaste.

Considere um celular. A sua bateria gera energia constantemente, os circuitos elétricos precisam trabalhar o tempo todo, os botões ou canais de áudio podem gerar desgaste.

Por isso, um equipamento se gasta com o tempo. Essa é uma “lei” da engenharia, no termo de uma palavra melhor, e é mais fácil aceitá-la e tratá-la assim do que tentar combater o inevitável.

Depois, existem outros elementos que também causam danos com frequência em uma máquina. Por exemplo:

●      mau uso;

●      água e umidade (em caso de circuitos elétricos);

●      quedas ou impactos;

●      poeira;

●      calor ou frio.

Por causa desses fatores, é importante pensar em realizar uma manutenção constante no seu maquinário. Mas como? É o que veremos!

Quais os diferentes tipos de manutenção de máquinas que existem?

Para saber como fazer manutenção de máquinas, precisamos aprender que existem três diferentes tipos de ação de manutenção.

São elas:

●      manutenção preditiva;

●      manutenção preventiva;

●      manutenção corretiva.

Para saber como realizá-las, é importante saber a diferença de cada uma. Portanto, leia mais a seguir!

Manutenção preditiva

A manutenção preditiva é um tipo de manutenção de máquinas focada na execução de um algoritmo de machine learning para prever quando um equipamento poderá ou não ter problemas.

Para ter sucesso nessa estratégia, o algoritmo utiliza uma série de dados, muita vezes coletados em nuvem de diferentes equipamentos do mesmo tipo.

Por exemplo, suponha que uma fábrica de carros utiliza 10 unidades de um mesmo tipo de maquinário para soldar alguns detalhes da porta dos veículos produzidos ali.

Todas essas 10 unidades são monitoradas de perto e todos os seus dados de desempenho são coletados para fazer uma análise completa do desempenho do maquinário.

O algoritmo, portanto, fica acompanhando indicadores que possam ajudar a prever quando uma máquina vai dar problema, o que permite que certas ações sejam tomadas para evitar a situação.

Manutenção preventiva

A manutenção preventiva funciona de maneira similar a preditiva no sentido de agir antes que o problema aconteça.

A diferença entre elas é que a preventiva não consegue monitorar o desempenho da máquina em tempo real e, por isso, deve ser realizada com certa assiduidade para identificar o momento certo de agir.

Um exemplo comum de manutenção preventiva é o trabalho de limpeza interior de veículos. Ao realizá-lo, dá para eliminar os elementos que podem causar um problema mecânico no futuro.

Manutenção corretiva

A manutenção corretiva é a mais famosa de todas já que, até algum tempo atrás, era a única realizada pela maioria das pessoas. A razão é simples: a preditiva não existia e a preventiva não tinha grande aceitação do público.

A ação corretiva tem como foco agir quando já é “tarde demais” no maquinário. Ou seja, quando o problema já apareceu e a máquina não está mais operando adequadamente.

Assim, a manutenção corretiva deve ser a última linha de defesa para manter uma máquina em funcionamento, substituindo uma peça ou um componente quando ele falha em funcionar.

Um exemplo comum dela é quando é necessário trocar os pneus de um veículo que se desgastaram demais ou quando é preciso trocar a pastilha dos freios, por exemplo.

Agora você já sabe o básico sobre a manutenção de máquinas e entende que tipo de estratégia tomar, além de quais fatores de risco evitar ao cuidar dos seus equipamentos.

O que achou do conteúdo? Agregou para você? Deixe um comentário abaixo com a sua opinião!

Ver mais

Publicado em 09 de Março de 2020

Como o Cálculo de Cubagem Influencia no Valor do Frete

O cálculo de cubagem é algo bastante familiar para quem trabalha com transporte de carga, visto que esse é um fator importante para o processo de planejamento e carregamento do frete. 

É ela quem dá a relação de peso e espaço que a carga vai ocupar no transporte, evitando a contratação de um frete de carga volumosa para algo de peso baixo, por exemplo. Sendo eficaz tanto para a distribuidora, quanto para o cliente. 

Como calcular a cubagem de uma carga

Para realizar o cálculo é necessário utilizar o fator de cubagem, que é um número constante que equivale a um metro quadrado do veículo utilizado para o transporte. Sendo assim, cada modal possui um valor diferente, já que os espaços dos veículos possuem variações. 

  • rodoviário: 1m³ = 300 kg

  • aéreo: 1m³=166,7 kg

  • marítimo: 1m³=1.000 kg

Após calcular o fator de cubagem, é calculado o peso cubado, que utiliza a fórmula: Comprimento x Largura x Altura x Fator de cubagem, para descobrir o espaço que a sua carga vai ocupar no veículo. 

Como a cubagem influencia o preço do frete?

A cubagem e o peso cubado são fatores influentes na precificação de um frete, pois são fatores que impactam diretamente na formação da carga, ajudando a transportadora a analisar a relação entre peso e dimensões dos objetos. Isso torna o entendimento do cliente mais claro sobre os valores cobrados. 

Ver mais

Publicado em 24 de Fevereiro de 2020

Logística Internacional: Saiba Como Funciona

Pensar em uma logística internacional pode ser uma atividade bem complexa, visto que é necessário pensar nas regulamentações do país de destino das suas mercadorias. Isso se deve a grande variação de leis aduaneiras e cultura de exportação de cada país.

Para você ter uma noção básica de como funciona esse processo, separamos algumas dicas que vão te ajudar a entender esse processo de exportação de carga  para outros continentes. 

Logística internacional: como exportar suas cargas?

Frete Aéreo Internacional

Por apresentar uma solução rápida e bastante segura para transportar mercadorias, o modal aéreo é bastante utilizado para o transporte internacional, visto que a ultrapassar fronteiras sob quatro rodas torna a viagem mais complexa, demorada e, também, perigosa. 

Por mais que seu custo seja elevado, é a forma mais indicada para transportar, principalmente, cargas perecíveis ou de maior urgência. O cálculo do frete é definido por meio de um cálculo definido pela IATA, considerando fatores como peso, rota e época que o frete será realizado. 

Frete Marítimo Internacional

Esse tipo de frete é recomendado para mercadorias que não possuem urgência na data de entrega, visto que comparado aos demais modais é o que mais leva tempo para chegar ao destino. 

No entanto, as embarcações são indicadas para grandes e pequenos volumes de mercadoria, sendo que a segunda opção oferece uma grande vantagem ao contratador dos serviços, já que pode escolher a opção de dividir o container com outros distribuidores, diminuindo então o valor do frete. 

Neste tipo de modal o frete é calculado pelo peso/volume da mercadoria, porém, é possível que fatores como sobretaxa de combustível, volumes pesados, ajuste cambial e congestionamentos levem a cobrança de taxas adicionais.

Frete Rodoviário Internacional

O modal rodoviário é o mais utilizado para transportes nacionais, mas também se mostra ser uma ótima opção para levar as mercadorias para fora do Brasil. Ele é capaz de transportar cargas de diversos tamanhos e peculiaridades, como perecíveis, congelados, ou até mesmo carga viva. 

Essa opção também se mostra bastante econômica e oferece flexibilidade aos embarcadores com a opção porta a porta, precisando apenas de um meio de transporte para completar a entrega, diferente do dois outros modais, por exemplo.  

Ver mais

Publicado em 10 de Fevereiro de 2020

Saiba Quais São os Benefícios do Modal Rodoviário

O modal rodoviário é um dos mais utilizados no Brasil. Um dos motivos para tamanha popularidade é a grande extensão de malha ferroviária que o nosso país possui, por isso, oferece mais agilidade nas entregas, além de diversos outros fatores que o tornam benéfico. 

Confira quais são as principais vantagens de utilizar o modal ferroviário para entregas no Brasil.

Benefícios do modal rodoviário no Brasil 

Transporte porta a porta

Esse é um dos maiores benefícios que esse modal oferece. O transporte porta a porta se responsabiliza pelo trajeto da carga desde seu ponto de partida, até o destino final. 

Isso acontece devido a tamanha mobilidade que o modal rodoviário oferece, conseguindo acessar até mesmo os lugares mais remotos do país. Já os demais tipos de modais, na maior parte das vezes, necessita de mais de um meio de transporte para fazer a entrega chegar ao destino final. 

Capacidades variadas

Outro benefício desse modal é que ele consegue atender qualquer tipo de demanda, tanto as de grandes cargas, até as mais simples. Sendo assim, é escolhido um tipo de veículo que atenda as necessidades de cada frete. 

Custos competitivos

Quando comparado com os demais tipos de modais, o rodoviário é o que oferece um maior custo benefício para quem está contratando o serviço. Além disso, como citado anteriormente, o fato dele se adaptar à diferentes tipos de demanda, torna o transporte mais barato. 

Um exemplo disso é quando embarcadores dividem o custo do frete, já que suas cargas são menores e permitem que o espaço da carreta seja compartilhada. 

Entregas programadas

Por fim, outra vantagem oferecida pelo modal rodoviário é, que ele permite a programação da entrega, atendendo então as necessidades daqueles negócios que possuem uma procura sazonal e oscilante, descartando a necessidade de grandes estoques. 

 

Ver mais

Publicado em 06 de Fevereiro de 2020

Categorias de CNH: Quais São as Permitidas Para Transporte de Cargas Pesadas

Você sabia que existem várias categorias de CNH diferentes? Pois é, para a maioria dos brasileiros, a Carteira Nacional de Habilitação é apenas uma, mas na verdade existem vários tipos distintos.

Algumas das versões da CNH permitem dirigir apenas alguns tipos de veículos. Por isso, se você tem o interesse em trabalhar com o transporte de cargas pesadas, por exemplo, precisa entender quais as categorias de CNH que permitem essa profissão.

Ficou curioso? Então siga a leitura do artigo abaixo!

Quantas são as categorias de CNH no Brasil?

Se você fosse juntar um número de categorias diferentes de CNH, quantas você arriscaria? Duas? Três?

Na verdade, existem 5 diferentes categorias de CNH no Brasil, cada uma delas focada em um tipo específico de veículos que rodam nas estradas brasileiras.

De maneira mais ou menos simplificada, os tipos diferentes de CNH vão de A até E, numa ordem de progressão do veículo mais leve até o mais pesado.

Do mesmo modo, existem diferentes tipos de provas, exames e cursos para quem quiser ser habilitado para conduzir essas categorias distintas de veículos.

Quais são as categorias de CNH no Brasil?

Como mencionado, existem 5 diferentes tipos de CNH no Brasil atualmente, classificadas de A até E e indo do veículo mais leve para o mais pesado.

Saiba mais sobre elas a seguir!

Categoria A

A CNH de categoria A é destinada a veículos motorizados que possuem apenas duas ou três rodas. Por isso, ela é popularmente conhecida como a "CNH de moto", uma vez que as motocicletas são os veículos mais populares que cabem nessa descrição.

No entanto, também existem veículos motorizados de três rodas. Um exemplo famoso são os triciclos motorizados vendidos para diversão em áreas de lazer abertas e em espaços rurais.

Categoria B

Já a CNH de categoria B é aquela que você provavelmente já tem em sua carteira. Ela é direcionada para quem quer dirigir veículos motorizados com 4 rodas ou mais, mas com dois requisitos bem interessantes.

O primeiro deles é que os carros só podem ter até 3.500 quilos de peso. Já o outro é que podem levar até 8 passageiros mais o motorista.

É interessante notar que muitos veículos novos chegam muito próximos desse limite, incluindo picapes e SUVs. Por isso, muita gente fica preocupada se pode ou não dirigir esses automóveis. No entanto, é permitido sim conduzi-los, já que não existe atualmente um carro no mercado com mais de 3.500 quilos.

carros seminovos ou usados podem ter um pouco mais de peso, especialmente se foram modificados. No entanto, a razão para o peso um pouco maior é porque eles eram feitos de materiais mais pesados, como o aço, e não a fibra de vidro dos seminovos ou o plástico especial dos atuais.

Categoria C

A Categoria C da CNH é destinada para os veículos motorizados que são usados no transporte de carga e cujo peso bruto total seja maior do que 3.500 quilos. Ou seja: é a carteira dedicada às carretas e caminhões de médio porte que vemos diariamente nas estradas do Brasil.

Com essa carteira, é possível trabalhar fazendo fretes de curta, média ou até mesmo longa distância, desde que as cargas transportadas caibam dentro da potência do automóvel.

Categoria D

A Categoria D na CNH é destinada para aqueles que querem conduzir um veículo motorizado que é usado para o transporte de passageiros e cuja lotação seja de mais do que 8 pessoas mais o motorista.

Ela é popularmente conhecida como a CNH de ônibus, já que é destinada para os motoristas que trabalham com o transporte público principalmente. No entanto, quem trabalha também com o transporte de pessoas, mas usando veículos com lotação maior do que de 9 lugares, utilizam a Categoria D também.

Categoria E

A Categoria E é uma categoria relativamente especial da CNH, uma vez que ela é destinada para qualquer veículo das categorias B, C e D. No entanto, ela é exigida para as versões desses carros que usam uma segunda unidade acoplada ou articulada que tenha 6 mil quilos ou mais.

Ou seja: sabe aquelas carretas longas, que levam várias unidades de carga pela estrada? Para conduzir uma delas, é necessário usar a Categoria E da CNH, que é muito difícil de conduzir.

Mesmo pessoas que compram carros para utilizar um trailer atrás, por exemplo, também precisam da CNH de Categoria E segundo as leis de trânsito no Brasil.

E aí, gostou de aprender mais sobre as categorias de CNH que existem no Brasil? Como deu para ver, cada uma delas é direcionada para um tipo de motorista. Se você deseja trabalhar com o transporte de carga, recomendamos as categorias C e E. Se quiser trabalhar com o transporte de pessoas, a B e a D.

Se você gostou do artigo, deixe um comentário abaixo com a sua opinião sobre as categorias de CNH. Você achou difícil a prova para tirar a sua carteira? Conte pra gente! 

Ver mais

Publicado em 29 de Janeiro de 2020

3 Cuidados Para Ficar Atento no Transporte de Cargas Pesadas

O transporte de cargas pesadas é uma tarefa comum para milhares de caminhoneiros. Afinal, 75% de todo escoamento de produtos no Brasil é feito pelo modal rodoviário.

Por causa disso, é necessário que os caminhoneiros saibam como transportar cargas de todos os pesos, especialmente as mais pesadas, que são mais difíceis de se mover por outros modais.

No entanto, o transporte de cargas pesadas têm certas características que exigem cuidados específicos em relação a outros tipos de fretes. Quer saber mais sobre o assunto? Então siga a leitura do artigo abaixo!

Verifique o preenchimento do espaço interno do veículo

Transportar cargas pesadas não é fácil. O veículo, como um todo, sofre com o peso extra, mesmo que tenha condições técnicas de fazer o carreto. Ou seja: mesmo que o caminhão aguente a carga, ainda assim é um desafio para ele.

No entanto, o maior dos desafios está com o caminhoneiro. Isso porque ele enfrenta a situação mais complicada de todas: manter o caminhão na pista de maneira ordenada e sem sofrer com a oscilação de equilíbrio.

O problema do transporte de cargas pesadas é que elas influenciam no equilíbrio do caminhão. Funciona assim: tente colocar um peso apenas na sua perna direita. Pode ser, digamos, a carteira no seu bolso de trás e celular com chaves no bolso da frente da sua calça.

Então, tente andar pela sua rua ou correr. Você sentirá a diferença ao ter mais peso de um lado. Isso mexerá com o seu equilíbrio.

É a mesma coisa com o caminhão. Quem dirige sabe que uma carga mal distribuída afeta completamente o controle do veículo. No melhor dos casos, isso causa uma viagem desconfortável. No pior, um acidente fatal.

Por isso, quando for montar o caminhão para fazer o transporte de cargas pesadas, organize adequadamente a carga pelo espaço, de modo a garantir que a viagem será segura.

Pode ser difícil e até um pouco demorado fazer isso, mas é melhor perder tempo no começo da viagem, do que sofrer um acidente no meio dela porque o caminhão perdeu o controle depois de uma freada ou uma curva mais acentuada.

Pense no seu caminhão como aquele video-game Tetris e vá encaixando as peças para manter o peso uniforme e sem desvios no seu veículo.

Tenha atenção a sinalização viária ao fazer transporte de cargas pesadas

Além de controlar o posicionamento da carga dentro do caminhão, é essencial que o caminhoneiro tenha atenção à sinalização viária da rodovia por onde passar. Isso é essencial para evitar acidentes e fazer um bom frete.

As sinalizações horizontal e vertical são as mais importantes para o caminhoneiro. Nelas, você poderá compreender as principais regras para cada trecho da estrada, além de aprender uma das informações mais importantes: o peso máximo para trafegar em cada trecho.

Algumas partes da estrada não permitem que caminhões acima de determinado peso trafegam, especialmente pontes. Por isso, é importante ter um olho no volante e outro nas placas para se informar.

As sinalizações horizontal e vertical são especialmente importantes para os caminhoneiros pois elas são praticamente as únicas disponíveis nas estradas de todos os 6 tipos de sinalizações viárias existentes.

Além delas, ainda existem as sinalizações luminosa (praticamente inexistente em rodovias), gestual (majoritariamente usada apenas nas cidades), sonora (praticamente não há em estradas) e acessórios de sinalização, esses mais comuns.

Por isso, é importante entender a estrutura básica de transporte de carga pesada na estrada pela sinalização horizontal e vertical.

Planeje cuidadosamente o itinerário que fará para o frete

Fazer transportes de cargas é um desafio por si só, especialmente quando o trajeto do frete é longo. Por exemplo, quando vamos de São Paulo até Rio Grande do Norte.

Quando a carga é pesada, então, o nível de dificuldade é maior. Por isso, é necessário fazer um planejamento muito cuidadoso do itinerário que será seguido no frete de modo a garantir o sucesso da entrega.

Nessas horas, o melhor é pensar em reduzir os danos do que reduzir o tempo de viagem, embora quanto maior a duração do frete, mais chances de problemas. Por exemplo, escolha o caminho com menos rampas e pontes, além de selecionar os trechos com melhor manutenção no asfalto para evitar problemas por causa do peso.

Além disso, opte por trechos com paradas grandes, capazes de armazenar o seu caminhão com a carga enquanto for descansar. Lembre-se que o seu caminhão está pesado e não é qualquer lugar que pode recebê-lo.

No fim da contas, o mais importante é chegar no destino com segurança e conservando a carga o melhor possível. Por isso, planeje o itinerário antes e opte pela rota mais segura, mesmo que ela leve mais tempo.

E aí, aprendeu como fazer um bom transporte de cargas pesadas? Mantenho esses cuidados em mente, você conseguirá o melhor resultado possível em seus fretes e não sofrerá nenhum problema.

Gostou do conteúdo? Então deixe um comentário abaixo com a sua opinião!

Ver mais

Publicado em 20 de Janeiro de 2020

Entenda a Legislação do Transporte de Cargas Perigosas

O transporte de cargas perigosas exige o cumprimento de muitas exigências da legislação, que vão bem mais além do que as solicitadas para o transporte rodoviário de cargas consideradas “normais”, sem cuidados específicos para seu deslocamento. 

O transporte de cada carga desse tipo requer prevenções específicas, sendo todas elas pensadas cuidadosamente a fim de garantir a segurança de todos, tanto do motorista, como também da própria carga e meio ambiente. 

Por isso, antes de fazer esse tipo de transporte é importante entender tudo sobre essa legislação, para que acidentes ou imprevistos com os documentos não sejam vivenciados. 

O que são cargas perigosas?

São consideradas cargas perigosas explosivos, líquidos inflamáveis, gases, substâncias radioativas, oxidantes, tóxicas, infectantes, radioativas, corrosivas, peróxidos orgânicos e tudo aquilo que possa causar combustão ou emissão de gases. 

Legislação de Transporte de Cargas Perigosas 

Em 2017 foram realizadas algumas alterações referente ao transporte de  produtos perigosos, valendo então a resolução 5.232/2016 da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). 

Dentre todas as mudanças exigidas pela nova legislação está novas exigências sobre embalagens, aumento na lista de cargas consideradas perigosas e até mesmo mudança em algumas nomenclaturas. 

Mas, apesar dessas mudanças esse tipo de transporte ainda está regulamentado pela 3.665/2011, sendo assim, o descumprimento dessas regras pode custar ao responsável do transporte multas de R$ 400 a R$ 1.000, que podem ser cumulativas. 

Principais aspectos da legislação

Embalagem

A sinalização nos rótulos indicando que o produto oferece risco é de extrema importância segundo as exigências.  Além disso, também é necessário o painel de segurança, onde é encontrado o número da ONU, o qual identifica o tipo do produto segundo a listagem da própria Organização. 

Treinamento de equipe

Para fazer o transporte de cargas perigosas é necessário que o motorista apresente a certificação do curso para Condutores de Veículos de Transportes Perigosos, com uma carga horária de 50 horas. Além disso, é importante que ele sempre se mantenha atualizado ao longo de sua carreira.

Artigo relacionado: Jadlog Rastreamento

Ver mais

Publicado em 06 de Janeiro de 2020

Transporte Rodoviário de Cargas: Confira a Documentação Necessária

O transporte rodoviário se tornou dominante no país quando se trata de qualquer tipo de carga. Segundo a ANTT, esse tipo de trabalho emprega mais de 5 milhões de pessoas no Brasil e corresponde a aproximadamente 6% do PIB nacional. 

Sendo assim, toda essa atividade precisa ser controlada pelo governo por meio de documentações. Cada tipo de transporte e carga possui tipos específicos de documento, tendo que estar junto do motorista durante todo o trajeto da entrega. 

Porém, com a tecnologia, esse sistema se simplificou, tornando-se mais rápido e seguro, sem a necessidade que a papelada seja física, e sim digital. Confira quais são os documentos necessários para transportar cargas no Brasil. 

Nota Fiscal Eletrônica – NF-e

Esse recibo é obrigatório para qualquer tipo de compra e venda de produtos, pois é por meio dele que se documenta a transação e recolhimento de impostos. Pela internet é possível emitir a nota fiscal eletrônica, facilitando o acesso do consumidor, emissor da nota e órgãos públicos. 

Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica – DANFE

O objetivo do DANFE é facilitar o acesso dos dados da NF-e, já que seu acesso é digital, porém não substitui a cópia impressa do documento, já que ele serve para recolher a assinatura do destinatário no momento da entrega. 

Conhecimento de Transporte Eletrônico – CT-e

Diferente do DANFE, o CT-e é um documento eletrônico obrigatório para todas as transportadoras, já que seu principal objetivo é documentar a prestação de serviços de transporte de cargas. 

 

 Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico – DACTE

Por mais que o DACTE seja eletrônico, é necessário que o CT-e seja impresso, já que deve acompanhar a mercadoria em trânsito. Sendo assim, sua versão eletrônica não substitui a impressa. 

Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais – MDF-e

Diferente do CT-e, esse documento não é responsável apenas por identificar as características da carga, mas de todo o transporte em si. Ele é utilizado para monitorar o tráfego de mercadorias em toda a extensão nacional. 

Documento Auxiliar do Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais – DAMDFE

Assim como os demais documentos citados acima, o DAMDFE facilita o acesso do físico às informações da mercadoria, já que é online, porém, não substitui o MDF-e.

 

Ver mais

Publicado em 09 de Dezembro de 2019

Conheça os Tipos de Transporte de Máquinas

Existem diversos tipos de transporte a fim de deslocar cargas pesadas. Sendo assim, cada uma das opções oferecem vantagens, como agilidade e praticidade para cada tipo de bagagem que será carregada. 

Esse tipo de transporte é, na maioria da vezes, utilizado para carregar maquinas pesadas. Por isso, é um serviço bastante procurado por empresas de segmento industrial, já que necessitam de equipamentos seguros e eficientes para a movimentação desse tipo de carga, com praticidade e rapidez.

Antes da viagem acontecer, é necessário que seja realizado um planejamento estratégico, onde é decidido o tipo de equipamento que será utilizado para o transporte, rota e etc. Sempre de acordo com o formato e tamanho da peça, que será carregada. 

Conheça os principais tipos de transporte de máquinas em rodovias

Caminhão Guindaste Articulado

A principal característica desse veículo é realizar operações de movimentação de carga com segurança e precisão. O caminhão guindaste é ideal para cargas que requerem peso, distância e altura, já que possui uma carroceria aliada à uma lança articulada.

Além disso, o equipamento é bastante versátil, podendo ser operado em locais confinados e, que possuem limitações de altura, seja na construção civil, usinas ou indústrias. 

Guindastes

Os guindastes são um dos principais veículos utilizados para esse tipo de transporte, já que possui a capacidade de movimentar cargas pesadas de um ponto a outro de forma eficiente. 

Esse tipo de equipamento é responsável por erguer, movimentar e transportar máquinas graças ao conjunto de torre, cabos e roldanas. Por isso, sempre é recomendado para empresas que desejam transportar objetos pesados de forma rápida e segura. 

Guindastes Articulados

Esse veículo é utilizado tanto para o transporte, como a movimentação de máquinas no geral. Ideal para empresas industriais que precisam carregar diversos tipos de equipamentos pesados, já que dessa forma, não é necessário contratar um veículo específico para cada objeto. 

Isso é possível, graças ao seu sistema hidráulico e braço articulado com um gancho, que é capaz de carregar máquinas de pequeno, médio e grande porte. 

Carreta Prancha

Esse tipo de carreta é recomendado para transportar máquinas com peso elevado e por longas distâncias. Por isso, sua maior característica é controlar o fluxo das cargas de maneira equilibrada e segura. 

O veículo possui pistões hidráulicos e remontes específicos. Por isso, tem capacidade para carregar tratores de esteira, tanques de guerra, retroescavadeiras e tanques cilíndricos.

Cavalo Mecânico

Também conhecido como trator, o veículo é capaz de carregar diversos tipos de máquinas extra pesadas de uma só vez. Isso é possível graças à sua cabine, motor e rodas de tração, que por meio de um engate, podem ser encaixados em diversos tipos de carreta para a movimentação dos objetos. 

Ver mais
+55 34 3814-2719 Ligue e faça uma cotação
Twitter Google + Facebook

Acompanhe-nos

Empresa Transmáquinas

MATRIZ
Rua : Estrada Canavial 100
Cep :38706-316
Patos de Minas -Minas Gerais - Brasil

Email:contato@transmaquinas.com.br
Telefone:+55 (34) 3814-2719


©2013 Grupo Transmáquinas / Política de Privacidade - Padrão de Referência em Guindastes

Desenvolvido por Mazag Marketing Digital